Manteiga, margarina ou maionese

Por Dr. Luciano de Castro

 Quer um conselho para melhorar a sua alimentação? ELIMINE da sua vida manteiga, margarina e maionese. Praticante de musculação, isto não te pertence !!!! Se você quer manter um baixo percentual de gordura, e com isso uma vida mais saudável, tenha em mente que você pode viver perfeitamente bem sem elas.

E você só tem a ganhar !! Outros profissionais podem discordar disso, mas é o que eu oriento no consultório.

MANTEIGA 

A manteiga não é uma invenção recente, tem cerca de 3000 mil anos, talvez por isso seja um costume tão arraigado e difícil de ser retirado. A manteiga nada mais é do que a gordura do leite. Vai daí que tomar leite desnatado e manter a manteiga é no mínimo um contrasenso.

De acordo com a Portaria n° 146, com o nome de manteiga entende-se o “produto GORDUROSO obtido exclusivamente pelo batimento e malhagem, com ou sem modificação biológica do creme pasteurizado derivado exclusivamente do leite de vaca, por processos tecnologicamente adequados”.

A matéria gorda da manteiga deverá estar composta exclusivamente de “gordura láctea”. Precisa falar mais alguma coisa ??? Devido a quantidade e qualidade de gordura (ácidos graxos saturados) e de colesterol na sua composição, todos sabemos que não se trata de um alimento saudável.

Apareceram daí orientações para substituí-la. Aí veio a margarina.

MARGARINA 

Em 1860, o imperador Napoleão III da França ofereceu uma recompensa a quem conseguisse encontrar um substituto satisfatório e mais barato para a manteiga, para as classes sociais baixas e para o exército.

Então, o químico Hippolyte Mège-Mouriés inventou uma substância a que chamou oleomargarina (mais tarde margarina). Veja bem o motivo da coisa ser inventada !! Durante muito tempo pensou-se que a margarina era mais saudável que a manteiga, mas atualmente existe controvérsia sobre este tema.

Esse pensamento foi contestado ao verificar-se que a margarina continha uma maior proporção de gorduras trans que a manteiga, produzidas na hidrogenação parcial e vários estudos demonstraram que existe uma relação entre as dietas altas em gorduras trans e as doenças do coração, concluindo-se que a margarina é pior em termos de nutrição que a manteiga.

Como ficou provado atualmente que a gordura trans consegue ser pior do que as outras, o processo de produção da margarina já não passa pela fase de hidrogenação na maioria das marcas e por isso não contém essas gorduras trans.

Por outro lado, de acordo com a legislação em vigor, a manteiga pode receber apenas sal como aditivo alimentar, enquanto a margarina é um dos produtos alimentícios que mais aditivos recebe, dentre os quais corantes, espessantes, emulsificantes, flavorizantes, acidulantes, umectantes, aromatizantes e estabilizantes.

Porém também recebe vitaminas e gorduras boas ao organismo, como a ômega 3. Com base nisso muitas marcas apelam por ai com publicidade de ser um produto mais saudável para o coração, já que se consumidas em quantidades moderadas, essa margarina enriquecida com ômega 3 e outras “boas substâncias” não elevam o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

Mas para você, meu caro praticante de musculação, elas continuam sendo igualmente ruins, pois contribuem demais para manter o seu percentual de gordura elevado e aquela sua gordurinha localizada que você tanto odeia.

MARGARINA

MAIONESE 

E a maionese ?? Bom, a maionese entra aqui como um produto claramente mais saudável do que a manteiga e a margarina, porém de consumo igualmente dispensável.

Vamos entender porque: Os ingredientes básicos da maionese são ovo, óleo de oliva, o limão, vinagre e sal. Alguns temperos que são frequentemente utilizados são a mostarda forte, alho, pimenta do reino e suco de limão. As marcas comerciais geralmente oferecem uma alternativa light com menos calorias.

Vamos analisar aqui uma das melhores marcas disponíveis, que se vangloria de ter apenas 40 calorias em uma colher (de 10 gramas, ou seja, colher de sobremesa). Se a gente virar o rótulo dessa mesma marca vai ler: A porção de 15 g traz 60 calorias.

A mesma medida traz também: 1 g de carboidratos, 0 g de proteínas, 6 g de gorduras totais, menos de 5 g de colesterol, nada de cálcio e ferro e 150 mg de sódio. E junto com os ingredientes naturais vem também conservante, espessante, acidulante, antioxidante, sequestrante, corante e aromatizantes.

Portanto você NÃO PRECISA usar um produto desta natureza, que te acrescenta 6 gramas de gordura por colher e um monte de outras químicas só para passar no seu pão. Já chega que maionese é a base de vários outros molhos disponíveis por aí, de consumo muito mais difícil de ser evitado.

A SOLUÇÃO 

A essa altura você deve estar se perguntando: “O que que eu vou passar no meu pão???” Vou deixar uma sugestão que não é muito original, mas que funciona muito bem.

Muito malhador já usa, tanto na fase de definição quanto na fase de hipertrofia: 1 peça de ricota fresca (amassada com um garfo em um recipiente grande) misturada a 1 copo de requeijão light DANÚBIO ZERO e 1 colher de sopa de azeite extra virgem. Guarde em um recipiente tampado na geladeira.

Para incrementar a sua receita você pode dividir em porções menores e misturar temperos como majericão, orégano, alecrim, salsinha ou cebolinha para dar um gosto diferente. Se quiser pode ainda acrescentar a essa pasta base presunto magro cortado bem fino ou então frango desfiado. Use uma colher de sopa cheia para passar no seu pão. Muito mais saudável e saboroso.

RICOTA

 

CRÉDITOS

Esse artigo foi escrito pelo Dr. Luciano de Castro e foi aqui reproduzido com a devida permissão do mesmo. Convido você a conhecer a sua página no facebook, CLICANDO AQUI.


CURTA NOSSA PÁGINA!

As informações foram úteis? Acompanhe-nos no Facebook, Instagram ou Twitter para receber as nossas atualizações!

Para críticas e elogios, use os comentários abaixo ou a nossa página de contato.

Você também pode inscrever o seu email, enviamos no máximo um email por semana, sem spam! Role até o final do site para se inscrever.

Dê sua opnião