ESTOU DE DIETA E BATEU A FOME, O QUE COMER?

Por Dr. Paulo Muzy

Problema frequente, fala a verdade?
O fato é que é algo que nos deixa na dúvida: o que comer, onde comer, o que pedir…

O QUE É A FOME?

Se você está com fome é porque o ponto limite de reserva de nutrientes do seu organismo foi atingido, logo, você absolutamente não tem mais de onde tirar energia para continuar seu processo de síntese de proteínas, nem mesmo manter sua função normal orgânica.

Nessa situação o organismo entre num stand-by do desenvolvimento muscular e começa a se desfazer do lastro energético mais intenso: músculo.

A PERDA DE MASSA MUSCULAR

Passar fome frequente = perder músculos frequentemente…

Assim que o nosso limite de estoque de energia é atingido, começa a acontecer uma situação chamada glicogênese, onde a musculatura do corpo é utilizada como lastro energético, ou seja, as proteínas que compõem os músculos começam a ser quebradas e transformadas em proteínas que possam ser utilizadas como forma de energia, logo o músculo é consumido num momento de necessidade metabólica.

Para o gerenciamento energético do organismo este mecanismo protetor é muito interessante porque ao mesmo tempo que obtém energia, ele acaba com o grande gastão de energia do corpo humano: a massa muscular.

Se você parar para pensar que 40 a 45% do nosso peso é massa muscular, pode perceber que deve ser um gasto significativo manter tudo isso nutrido e oxigenado…

Para nós, que gostamos de desenvolvimento físico, é um desastre, porque além de você não desenvolver sua massa muscular, você acaba perdendo a que tem ganhado recentemente e ainda deixa de ganhar o que poderia até seu corpo se estabilizar novamente…

COMER POUCO NÃO É FAZER DIETA

Portanto, quem passa fome e acha que faz dieta, pode ter certeza de que isso não é dieta, é privação alimentar.

Músculo bem desenvolvido custa nutriente certo na dose certa, na hora certa.

ENTÃO O QUE COMER?

Explicado isso, aqui vai a dica: Ande sempre com alimentos. De preferência sem açúcar para não excitar mais ainda o processo desequilibrando mais sua secreção de insulina.

Para pessoas com vidas atribuladas sempre aconselho a andar com uma barrinha de proteína na mala ou no bolso e um whey no banco de traz do carro junto com a mala de ginastica.

Três razoes para tal cuidado:

1. A barrinha serve como um aporte de carboidratos de índice glicêmico adequado que vão ajudar a nutrir o corpo enquanto a proteína inibe o reflexo da fome além de fornecer substratos para a manutenção da síntese de proteínas;

2. O shake de proteína no carro é uma refeição de absorção ultra rápida, que vai fornecer ao seu organismo nutrientes valorosos num curto prazo de absorção, o que é mais importante ainda, lembra-se de quando conversamos sobre jejum gástrico e jejum metabólico, tempo e digestão e tal…

3. Em consequência deste último: por melhor que seja a refeição que você possa fazer naquele momento, a chance de você comer mais do que deve por estar com fome é muito grande e ainda, o tempo de absorção se prolonga não resolvendo seu problema metabólico, e se você estiver na correria de verdade, vai sentir aqueles sintomas de uma refeição muito repleta, que fazem parte do que chamamos de alcalose pós-prandial: sonolência, cansaço, falta de disposição e atenção…

 

CRÉDITOS

Esse artigo foi escrito por Paulo Muzy e foi aqui reproduzido com a permissão do mesmo. Convido você a conhecer a sua página no facebook, CLICANDO AQUI.


CURTA NOSSA PÁGINA!

As informações foram úteis? Acompanhe-nos no Facebook, Instagram ou Twitter para receber as nossas atualizações!

Para críticas e elogios, use os comentários abaixo ou a nossa página de contato.

Você também pode inscrever o seu email, enviamos no máximo um email por semana, sem spam! Role até o final do site para se inscrever.

Dê sua opnião